Notícias

Religião e Política: uma perspectiva de Lutero, Calvino e Wesley.

Religião e Política, eis a questão…

Uma reunião inicia no começo da noite, e o ambiente está propicio para bons ares, mas quem avalia o público fica atônito, pois são homens trajados de terno, e mulheres com longos vestidos e cabelos na mesma simetria, fazendo assim, com cânticos efervescidos o que se chama de culto, e naquele ambiente apenas existe espaço para uma finalidade, a apresentação do “sagrado”, que é acessado por alguém especial e com vocação distinta dos demais.

Para formular esse artigo, abordando o tema “religião e política”, resolvi me deter em três grandes nomes e cabeças de movimentos protestantes, com isso, esclarecer qual seria o pensamento de cada um acerca da relação entre religião e política, e claro, ficará esclarecido a tantos quantos lerem esse texto, que aqui se justifica com expressão eloquentes e que duram com o mais antigo, por mais de 400 anos, com isso, possuindo autoridade para tal argumento.

Martinho Lutero:  O foco da teoria política em Martinho Lutero está no livro – A nobreza cristã da nação alemã acerca do melhoramento do Estado – este livro foi escrito 3 anos depois do ponto fundante da reforma, e com isso, expressava o reformador alemão que o cristão deve estar inteirado nas questões políticas, e com o desligamento da igreja alemã junto ao Catolicismo Romano, surgiu o conflito conhecido como a batalha dos 30 anos, e na instauração do Estado alemão, a igreja atual deveria tomar as rédeas sociais e o ornamento político regional e estatal, sendo assim, a justificativa para esse envolvimento social e político, seria que Deus não apenas era Senhor dos céus, mas também da Terra e do Universo.

Em conclusão ao pensamento do destacado pensador, fica a fala que em seu texto apresenta ser “repugnante” o Cristão não participar das decisões de esfera pública, uma vez que o governo da Terra foi dado ao ser humano, sendo ele criado por Deus, sendo tantos ímpios quantos jutos qualificados nesse caráter.

John Calvino: O pensamento de João Calvino, que além de pastor na Suíça, também foi quem escreveu sua constituição, formulou planos econômicos e escreveu a sua suma teológica – As institutas de fé Cristã. Esse talvez seja o mais completo dos teólogos versados no que tange ao pensamento concernente a esfera pública, por isso, formou um conjunto de valores que formou e reciclou muitas bases acadêmicas e políticas no mundo ocidental, como pode ser observado na obra organizada por W. Stanford Reid e na cosmovisão de políticas públicas calvinistas, exposto por André Biéler na obra  – O pensamento político econômico e social de Calvino, já na abrangente fundação do cristianismo social em Calvino, podemos citar a seleta obra de Abraham Kuyper – Calvinismo.

João Calvino é defensor da formação da estatal e da existência do Estado, por isso, apresenta um viés de direita política, abrangendo a liberdade de mercado, a condição livre dos cidadãos em investir o seu dinheiro em sua vida pessoal, e no Reino dos céus, assim por diante, fica notável a compreensão de Calvino em contraponto a igreja católica da época, que induz o ser humano ao ócio, predicando a prática da abnegação do lucro e que o dinheiro é a raiz dos males maiores, e que o dinheiro deveria ser rendido aos pés da igreja.

Em resumo, o pensamento de Calvino está em síntese no tríplice ministério:

  • Educadores – Todo Cristão foi chamado para educar.
  • Político – O Ser humano foi chamado para viver em coletivo.
  • Social – Nascemos e estamos no mundo, e devemos acrescentar ao mundo valores.

O pensamento de Calvino expõe valores que outrora não tínhamos, e ele foi reformador no pensamento político Cristão.

John Wesley: O pensador britânico Durkan Wile na obra – O Evangelho segundo o Metodismo, forma conceito quando diz que o metodismo apenas praticava religião e deixava de ser humano, uma vez que abandonava as suas obrigações como cidadão. Entretanto, nas palavras de Wesley existe a fala, “o evangelho de Cristo não conhece religião que não seja social, e não conhece também santidade que não seja social

A grande argumentação do metodismo trabalhar em emprego social, seria que os desligados de Deus precisam de religião para serem ligados a ele novamente, por isso, Wesley usa o termo religião, que em sua raiz traz a compreensão de ligar o homem a Deus, a presenta essa preposição argumentativa, assim como a santidade também.

Já na questão política, ele apresenta um tipo de ser político, a exemplo na república de Platão, que os mais inteligentes deveriam governar o povo, e exercer os cargos majoritários da estatal, como também, praticava o ecumenismo como forma de socialização, pois seu cristianismo era interativo e baseado no diálogo, com isso, o direito do Cristão terminava ao iniciar o do outro.

 Conclusão:

Esses são os três maiores nomes do Cristianismo reformado, com isso, apresentamos as suas expressões acerca do Cristianismo político, elencando os desafios do tema religião e política, uma proposta de teologia política e seu emprego social, conquanto, devemos compreender que nos deparamos com uma relutância nacional acerca da união de ambos os termos, chegando a grupos de extremo conservadorismo que chegam a ser demonizado, então, cabem as mentes pensantes reformular essa ideia e educar uma nova geração, neste que é um dos temas (religião e política) que demandam cada vez mais pensadores.

 

 

BIBLIOGRAFIA

Eric Voegelin . História das Ideias Políticas, vol. III : Idade Moderna, De Erasmo a Nietzsche, tradução e abreviação de Mendo Castro Henriques, Lisboa, Ática, 1996

Adriano Moreira, «As teses de Lutero», Estratégia, vol. VIII: Legado Político do Ocidente (O Homem e o Estado), n.º coord. Por Adriano Moreira, Alejandro Bugallo e Celso Albuquerque, Lisboa, 1995, págs. 120-133.

História da Educação, Mario Alighiero Manacorda, 382 págs., Ed. Cortez;

Lutero e Libertação, Walter Altmann, 352 págs., Ed. Sinodal

LUTERO, Martinho. Obras selecionadas. São Leopoldo: Comissão Interluterana de Literatura, 1989.

STANFORD, W. Reid. Calvinismo e sua influência no mundo ocidental. São Paulo: Cultura Cristã, 2014.

KUYPER, Abraham. Calvinismo. São Paulo: Cultura Cristã, 2014.

MORAES, Gerson Leite de. Entre a Bíblia e a espada: uma análise da filosofia e da teologia política em João Calvino. São Paulo: Editora Mackenzie, 2014.

BIÉLER, André. O pensamento político econômico e social de Calvino. São Paulo: /cultura Cristã, 2012.

GOMES, Antônio Máspoli de Araújo. Religião, Educação e progresso: a contribuição do Mackenzie College para a formação do empresariado em São Paulo entre 1870 e 1914. São Paulo: Editora Mackenzie, 2000.

 

 

 

 

Related posts

Leave a Comment