Notícias

Paul Tillich: o Teólogo da Cultura

Paul Tillich: Biografia

Paul Tillich, Nascido em 20 de Agosto de 1886, em Starzedde (Antigo Reino da Prússia), foi um dos mais influentes teólogos protestante do Século XX, e um dos grandes nomes da chamada “Teologia Liberal”. Contemporâneo de Karl Barth e Rudolf Butman, foi um dos precursores do chamado “Socialismo Religioso”. Tendo sido ordenado pastor luterano, em 1912, serviu o exército alemão durante a I Guerra mundial como capelão, mais tarde, por seu envolvimento com o este movimento intelectual passou a críticar fortemente o regime nazista. Tendo perdido sua cátedra, por conta de suas críticas ao regime, em 1933 emigrou para os EUA, a convite dos amigos Reinhold e Richard Niebuhr. Nos EUA, lecionou  Teologia Filosófica no Union Theological Seminary e na Columbia University, mais tarde em Harvard e Chigado.

Nesta última cidade, coordenou importantes seminários de estudos da religião com Mircea Eliade. Depois da Segunda Guerra, fez freqüentes viagens a Europa para cursos e conferências. Recebeu o prêmio da paz dos editores alemães em 1962.

Paul Tillich: Obras literárias

Ao longo de sua vida escreveu diversas obras, e posteriormente a sua morte, muitos se dedicaram escrever sobre sua teologia. Além de ter produzido uma Teologia Sistemática, Tillich nos deixou escritos que ainda hoje tem impacto direto na sociedade, dentre elas podemos destacar:

  1. Teologia da Cultura
  2. A história do Pensamento Cristão
  3. O Novo Ser
  4. O Essencial
  5. A Era Protestante
  6. A Agitação das Fundações e muitas outras.

Teologia da Cultura

 

A Bíblia não é um livro caído do céu, um código sagrado, ou uma declaração doutrinal da fé. É a soma das experiências dos encontros que pessoas no Antigo Testamento e depois no Novo Testamento tiveram com Deus.

O fato de que essas experiências tenham sido ordenadas, reformuladas e algumas delas rejeitadas não são ignoradas por Paul Tillich. Mas seja qual for a história das Escrituras ou a formação do cânone, a essência da Bíblia é o testemunho de experiências e encontros.

Esses encontros e seus relatos são expressões que aconteceram enquanto história, em determinadas geografias e traduzem vivências culturais definidas. Mas não são diretamente acessíveis à nossa própria experiência, por isso necessitam de uma correspondência formal.

Tillich procura, em Teologia da Cultura, diminuir a distância existente entre a fé e a cultura, mostrando que o físico e o material é profundamente afetado pela espiritualidade humana.

Para se entender a cultura, é necessário perceber a teologia que percorre por debaixo da superfície das expressões humanas. Deus pode ser encontrado através da “correlação da mensagem cristã e a situação existencial, o aspecto simbólico da linguagem religiosa que evita a apropriação, o dogmatismo e a idolatria, e o princípio protestante, que define a justiça como incondicionalidade” (TILLICH, 2009, p. 23).

Apresentar esta dimensão da realidade humana sempre foi sua preocupação. Isto pode ser visto pela sua vasta publicação sobre o assunto, que, acabou sendo reunida e publicada em 1959 na obra Theology of Culture.
Devido o fato desta obra ser uma compilação de diferentes artigos escritos durante o período de 1940 a 1957, a sequencia de seu pensamento pode ser difícil de captar.

Por isso, ler e reler essa obra o ajudará a entender o pensamento de Tillich, ou pelo menos ter uma noção mais abrangente de sua teologia.

 

 

 

Related posts

Leave a Comment

Open chat